fbpx
EDUCAÇÃO NA PANDEMIA: OS CAMINHOS E DESAFIOS PARA  RETOMADA  DAS AULAS PRESENCIAIS

EDUCAÇÃO NA PANDEMIA: OS CAMINHOS E DESAFIOS PARA RETOMADA DAS AULAS PRESENCIAIS

  • Blog

A pandemia do novo coronavírus tem causado muitas mudanças na rotina escolar de milhares de crianças e, também, de suas famílias. Para unir forças contra essa situação tão adversa, o vereador Mazinho (PSD) promoveu, nesta quinta-feira (14), um bate-papo com a participação da Secretária Municipal de Educação de Santos/SP, Cris Barletta.  

Foram abordados assuntos como: os rumos da educação brasileira pós-pandemia e as medidas adotadas pela Prefeitura de Santos durante a quarentena. Essa foi a terceira live do projeto “Avança Vitória”, com a transmissão sempre ao vivo pelas redes sociais do parlamentar. 

OS RUMOS DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA

O fechamento das escolas levou professores, pais e alunos a recorrerem às plataformas digitais, mas garantir a continuidade dos estudos durante o isolamento social é um desafio.

“Em Santos, nós lançamos uma plataforma exclusiva para acesso dos pais, alunos e professores, mas sabemos que nem todos poderão ter acesso. Na rede pública essa é a nossa realidade, mas não podemos abrir mão dessa ferramenta que neste momento é o único elo que temos entre família e escola. Além disso, temos um grande desafio que é levar a escola para dentro do contexto familiar e transformá-lo em um ambiente de aprendizagem escolar”, disse a secretária. 

Como nem todos os familiares têm a condição de mediar o conteúdo, segundo Barletta, os processos tradicionais da educação passam a ser repensados.

“E é nessas horas que o professor está desvalorizado, mas, também, muito valorizado. Tudo tem os seus dois lado e a gente percebe que nada substitui um professor presencialmente”, contou. 

Por outro lado, mesmo com todas as dificuldades, a expectativa é cumprir o calendário letivo.

“Nós não estávamos preparados para nada disso, pelo contrário. Nós estamos é muito envolvidos para desenvolver um trabalho e minimizar os impactos que essa pandemia tem causado. Por isso, logo no início, interrompemos as aulas gradativamente e antecipamos o recesso escolar. Depois, antecipamos as férias até o dia 24 de maio para conseguir cumprir as 800 horas estabelecidas pelo calendário escolar, mesmo com as flexibilizações”, falou a secretária. 

A RETOMADA DAS AULAS

Em um segundo cenário, com as muitas mudanças causadas pela pandemia há uma incerteza acerca da retomada das aulas presenciais ainda neste ano e muitas dúvidas sobre o término do período letivo. 

“Segundo o Conselho Nacional de Educação (CNE) a adequação em relação ao aumento de carga horária, aulas aos sábados e feriados será uma prerrogativa dos conselhos locais, assim como a readequação do calendário escola, mas tudo vai depender do controle da pandemia, dos resultados do isolamento social que estamos fazendo”, disse.

O QUE ESPERAR DA EDUCAÇÃO PÓS-PANDEMIA?

Muitos especialistas e profissionais da educação afirmam que a escola não será mais a mesma após a retomada das aulas, principalmente no processo de aprendizagem. Segundo Barletta, é necessário ter um ambiente seguro para começar a pensar na educação.

“Temos discutido a retomada com as turmas reduzidas e com horários escalonados, respeitando as condições estruturais de cada unidade. Além disso, também estamos planejando a aquisição do álcool em gel, termômetros e outros materiais de higiene pessoal. Sempre respeitando as indicações do secretário de saúde para evitar aglomerações e retomar da melhor forma possível”, explicou. 

Ela ainda destacou que deve haver um diálogo entre as áreas da saúde, educação e assistência social. “São três pilares fundamentais para que a gente passe por esse cenário com um pouco mais de condições”, finalizou. 

Deixe uma resposta